Traí e dei o cú para o colega da academia (conto erótico de traição)

Conto erótico: sexo anal com o colega da academia

Eu traí meu marido com o cara da academia… e ainda dei o cú pela primeira vez (doeu mas foi uma delícia)!

Tenho 28 anos, sou casada a menos de 1 ano e é tudo ótimo com meu marido. Nos damos muito bem até na cama, mas acabei traindo ele com um colega da academia.

O D. começou na academia onde treino. Era um moreno alto, com uns 10 anos a mais do que eu. Não era bonito, mas me chamou a atenção.

Sempre olhava pra ele, discretamente, pois ele tinha um corpo bonito e em alguns movimentos dava pra ver o pau dele marcando o short. Parecia ser grande. Isso me excitava e eu gostava de ver, mas era só isso. Jamais iria tentar algo.

Nós nem conversávamos, apenas um rápido cumprimento e só. Mas eu saiba que o D. me olhava escondido também, pois já peguei ele várias vezes me olhando pelos espelhos, especialmente quando fico de costas.

Saber que ele me olhava me excitava ainda mais e eu fiquei pensando muito nisso. Um dia, ele passou atrás de mim e eu não vi, me abaixei para o movimento e minha bunda encostou nele, no pau dele pois ele estava bem atrás.

D. me pediu desculpas, eu ri toda sem graça… e aquilo mexeu comigo ainda mais. Minhas amigas riram, dizendo que o pintudo da academia quase que me come ali mesmo kkkk

Os dias passaram, e eu ainda pensando no D, estava amadurecendo a ideia de que queria provar ele. Mas ele não demonstrava nada além de olhar escondido, e eu também. O fato de eu ser casada tirava a nossa coragem com certeza.

Mas um dia resolvi puxar assunto com ele sobre exercícios e falei do agachamento que eu fiz, que era perigoso ter alguém atrás. Ele riu e pediu desculpas por estar atrás de mim naquele dia.

“E porque você fica me olhando, D?” perguntei pra ele. Ele disse que era porque minha beleza chama a atenção, mas que ele me respeitaria por ser casada.

“E se eu não fosse casada?” Aí ele respondeu que iria me chamar para sair e tomar um sorvete. “Você iria se não fosse casada?” Eu respondi que sim… e sem pensar em mais nada, falei pra ele “Que tal amanhã? Vamos ver como seria isso?”.

Eu tremia muito mas o desejo de ter uma oportunidade com ele era maior. Ele sorriu e topou. Expliquei que meu marido iria trabalhar fora e que poderíamos ir para outra cidade.

Combinamos ali o horário, sem telefones pois morro de medo de ser descoberta. Eu jamais trairia meu marido, mas senti um forte desejo pelo D.

Jantar e sexo gostoso (conto erótico de traição)

No dia seguinte, D. chegou de carro e foi me buscar onde combinamos. Muito educado, muito bem vestido e cheiroso, ele abriu a porta do carro pra mim, me deu um delicioso beijo no rosto e me elogiou muito.

Fomos jantar em uma cidade vizinha, para evitar o risco de ver conhecidos. O jantar foi agradável, sempre com bom humor e perguntinhas picantes. Ele me perguntou “porque você malha tanto os glúteos? Você não precisa”.

Fomos para o carro e o papo continuou. “Então você fica reparando na minha bunda?”, ele disse que sim e não só na minha bunda, pois meu corpo era perfeito.

O papo foi esquentando e D. foi se aproximando até me abraçar e me beijar. Nos beijamos deliciosamente e ele sempre carinhoso segurava minha mão.

Em algum momento, a mão dele foi para minha coxa, me acariciando e ameaçando entrar para dentro da minha saia. Eu apenas permitia, adorando aquilo.

Pedi para irmos a um lugar mais reservado, ou seja um Motel. E lá fomos. Fomos para a suíte e ele a todo momento me abraçava, me cheirava e me beijava… sempre dizendo o quanto eu era deliciosa.

Eu estava muito excitada e nem me lembrava mais que era casada. A tensão passou e o tesão só aumentava. Nos deitamos na cama e nos agarramos, muitos beijos e amassos.

Pauzão enorme (chupei gostoso)

Coloquei a mão dentro da calça dele e agarrei o pau dele que estava bem duro. Abri sua calça e tirei aquele mastro pra fora… um pau grande, grosso e lindo como eu imaginava na academia. Eu não conseguia soltá-lo… só queria ficar segurando, punhetando e olhando aquilo.

Quando dei por mim, estava chupando o pau do D., bem devagar colocando aquilo na minha boca. Era uma maravilha chupar um pau grande assim. Ele gemia muito. Fiquei ali um tempo me deliciando no pau do D., lambendo e chupando aquela cabeça avermelhada… como um sorvete.

Fazendo sexo oral

Logo ele me pediu pra deitar, veio pra cima de mim e começou a me beijar. Tirou minha blusa e minha saia e passou a chupar meus seios enquanto suas mãos deslizavam pelo meu corpo. Eu estava em êxtase.

E o D. foi descendo, com aquela boca quente descendo pelo meu corpo, tirou minha calcinha e eu já abri as pernas esperando o que iria acontecer. D. me fez uma sessão de oral como nunca eu tinha recebido.

Sexo oral

Ele sabia como chupar uma buceta, a minha buceta na boca do D… eu gemia muito! Enquanto ele me chupava, enfiava um dedo no meu cú. Isso me incomodou, mas estava tão bom o oral que deixei aquele dedo entrando e saindo do meu cú.

Logo ele se levantou e veio no meu ouvido falar com aquela voz grossa “quero entrar dentro de você”. Eu apenas sorri e me ajeitei para receber ele dentro de mim.

E ele foi metendo aquele pau gostoso dentro de mim, entrando bem devagar. Seu corpo em cima do meu e seu pau todinho dentro de mim. Gemíamos alto e ele metia gostoso demais. Gozamos juntos e nos deitamos, abraçadinhos.

Fazendo sexo

Muitos beijos e carinhos depois, vi que D. estava de pau duro novamente. Eu estava apaixonada por aquele pau lindo dele, e tão hipnotizada que o que ele me pedisse eu faria. E assim foi.


Fiquei de quatro e ele comeu meu cú

Perguntei se ele queria outra vez, ele disse que sim. Falou “Helena, se vira pra mim”. Ele tem uma voz grossa e gostosa, eu apenas obedeci. Fiquei de costas pra ele e ele me colocou de quatro. Tinha certeza de que ele iria meter na minha buceta de novo.

Eu ali, de quatro pra ele com a bunda arrebitada esperando a pica dele entrar na minha pepeka, e sinto uma língua molhada no meu cuzinho. Sim, ele estava lambendo meu cú. Tive uns segundos de incômodo, mas aquilo estava tão gostoso que senti meu cuzinho se abrindo todo.

“Será que ele vai comer meu cú”? “E se ele tentar, devo falar?” era o que eu pensava, pois eu não dava o cú nem para meu marido. Tentei uma vez e doeu. Imagine agora com o D. que tinha um pauzão.

Um pouco de insegurança, e muito de prazer… e logo sinto a cabeça molhada do pau do D. encostando no meu cú. Fiquei gelada na hora, mas não tive reação. E ele perguntou “Posso entrar?”. Louca de prazer, curiosidade, tesão e paixão por aquele pau gostoso, eu apenas disse “SIM”, mesmo com medo.

E ele foi entrando, metendo no meu cuzinho. No início doía muito, mas rapidamente foi ficando bom! Aquele pauzão enorme todo dentro do meu cú, entrando e saindo…

Era como uma tora bem dura e quente entrando no meu rabo, e eu podia sentir aquele pau pulsando dentro de mim, me arrombando, e eu estava adorando aquilo! Foi uma surpresa pra mim. Praticamente perdi a virgindade do meu cú naquele dia.

Sexo Anal

D. me segurava forte pelo quadril enquanto metia devagar no meu cuzinho. Arrepios, prazer… estava uma delícia aquilo. Logo ele gemeu mais e pude sentir que ele iria gozar. Aquele pauzão me arrombando começou a latejar mais forte e senti ele gozando dentro do meu cú. Que sensação maravilhosa foi aquela!

Pra uma mulher que praticamente nunca fez sexo anal, era estranho estar extasiada por ter deixado um estranho meter e gozar no cú dela. Mas eu estava maravilhada com aquilo.

Ele se deitou, exausto. Me deitei do lado dele e apenas disse que iria tomar banho. Ele foi atrás de mim e nos banhamos juntos, nos beijando bastante.

Fomos embora e prometemos nunca falar disso. E assim continuamos na academia, como dois estranhos que apenas se cumprimentam e se olham disfarçadamente.

Agora faço sexo anal com meu marido, mas não é igual o que foi com o D. quem sabe um dia a gente não marca novamente?

Conto erótico enviado por A.H.F.

Que nota você dá pra esse artigo:

Média: 4.6 / 5. Votos: 48

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *